June 16, 2021
De parte de Indymedia Argentina
234 puntos de vista


Denúncia contra a opressão vivida pelas mães e crianças na Ocupação Cultural Ouvidor 63

“O Racismo que o branco conhece é o do lado de lá!”

Diversos atos já sistemáticos de violência e racismo contra mães e crianças, inclusive africanas, como vocês podem ver no vídeo, vem acontecendo na Ocupação Ouvidor 63, e “estão aterrorizando, querendo expulsar as mães para tomar o prédio”.

Essa mãe preta foi cancelada nesta ocupação, temos varios relatos de maus tratos e humilhação, inclusive em assembléias.

Recebemos relatos e vídeos de mães que desejam se manifestar, mas estão cansadas e com medo de perderem suas moradias em meio a uma pandemia.

A opressão é criminosa e vai contra os princípios “autogestivos, de horizontalidade” e, de igual maneira, princípios “legais também”. Isso através do uso criminoso da violência física, psicológica e do racismo sistêmico contra as mães e as crianças que lá residem há muito tempo. 

Destaca-se que a Presidenta da associação gestora da Ocupação Ouvidor 63, mana Alexa, tem sido pontualmente perseguida porque ela é mãe, mulher preta e tem sido defensora e voz das outras mães e crianças de diferentes etnias. 

Os gritos de socorro que essa carta carrega são de mães e crianças oprimidas, subjugadas nesta ocupação; de uma mãe que teve sua cria violentada comprovadamente por membro “desse grupo opressor”, mães que viram de “forma corporativa” o estuprador ser apenas expulso da ocupação. Mesmo em ato consumado e com a criança falando, ele continua no círculo de amigos de alguns desses opressores. 

Essas mães e crianças estão sendo cerceadas dos seus direitos como seres humanos, como moradoras e ainda como presidente e gestora da associação.

Companheires, vocês  devem estar perplexos com tudo isso e se perguntando por que? Qual a motivação disso tudo?

Infelizmente entramos para estatística de violência no lar. Aqueles que deveriam defender a mulher e a criança, “ditos artistas” estão botando o terror.

Ao que parece, a motivação é tomar o controle do espaço gerido hoje pela associação, a fim de promover festas e aglomerações focadas em abuso de drogas. 

Foi denunciado que existem mães trabalhando por um prato de comida e alguns reais para artistas opressores, que conduzem as coisas com a força da fome dos seus iguais. 

São os mesmos que não respeitam o horário de silêncio para o descanso das mães e crianças, causando stress total. Imaginem essas mães sem dormir, sem paz, as crianças estressadas. Elas desejam o mínimo de organização, que lhes é sabotado a cada investida de conversar para organizar, tornando as assembléias sem resultado, pois os relatos são de cansaço e medo diante de tantos anos de injustiça. 

O que vamos fazer? 

Vamos nos calar?

Vamos nos omitir? 

De que lado nós estamos? 

Das mães e das crianças? 

Ou do lado da violência da opressão e dos agressores?

Queremos uma apuração legítima, aberta e transparente com participação dos coletivos da cidade, das quebradas, sem violência, com diálogo e com princípios de justiça e  equidade.

Dando voz às crianças, às pretas, às mães, moradoras, também aos princípios da livre associação e cooperativismo organizacional como gestor do espaço.  

“ E nenhum branco vai chamar uma mãe preta de parasita e passar batido, que pegue sua vantagem do olho azul e pele branca 

e vá presidir as empresa dos seus pais “

Convocamos toda comunidade para estar atenta e não deixar que uma injustiça aconteça debaixo dos nossos olhos. Basta!! 

“A Página das redes sociais do Instagram da ocupação Ouvidor 63 foi utilizada para julgamento e expulsão de uma mãe preta que não teve direito de resposta e está com o seu espaço invadido, por pessoas que não estão usando máscaras, sem os cuidados devidos. Essa mãe está em Pânico, com um bebê de meses e uma menina de 10 anos, inclusive com crises, pois seu espaço de privacidade e maternar foi corrompido do dia para a noite.” Essa mesma página que se utiliza das fotos das mesmas crianças na rede e agora as deseja expulsar!

Atenção Conselho Tulelar, @Suplicy, @Leci Brandão,  Vereadores, Deputades Eleitos! 

Segunda próxima, 14/06, às 19h, na Rua do Ouvidor 63,
contamos com a presença de todes! 

Compareçam, compartilhem, marquem coletivos feministas, de resistência, todes que vocês acreditam que podem ajudar, não podemos nos calar!  

Tragam amor, leite, brinquedos, alimentos! Serão super bem-vindos! 

Quem não puder segunda, mas pode hoje sábado ou amanhã domingo, aparecer, mostrar sua força, faça! Existem mulheres e crianças prestes a serem colocadas na rua esperando apoio, presença, união. Chegando na ocupa procurem @Alexa ✊

Dúvidas chama no direct @Alexa

Whatsapp 11 94224 9675

Alexa Gomes

Ocupação Cultural Ouvidor 63 – Presidenta Alexa Gomes – https://www.facebook.com/ouvidor63/

Okupacao Cultural – https://www.facebook.com/coragemcoletivo/

Anhangabaroots – https://www.facebook.com/anhangabarootsoficial/

Laboratório Compartilhado TM13 – https://www.facebook.com/laboratoriocompartilhadotm13

Casa AmarEla Quilombo Afroguarany – https://casamarela.wordpress.com/

Boteco Socialista – https://botecosocialista.com.br/

ONG CRESCCER Fomento á Vida – https://www.facebook.com/CFVBrasil/

Coletivo Hip Hop no Trem – https://www.instagram.com/hiphopnotrem/?hl=pt-br

Coletivo Família Rua – https://www.facebook.com/familiadrua/

Coletivo Okupalco

Tribuna Afrobrasileira – https://www.facebook.com/tribunaafrobrasileira/

Coletivo Wellcome to Gueto

Coletivo Academia Dancehall – https://www.academiadancehall.com/

Coletivo Quinto Elemento – https://www.instagram.com/quintoelemento011/

Coletivo Quilombohightech

Forum da Rua

Representa o coletivos de mães do Ceará

Honorato Plataforma Artística BA/PA

Coletivo DAS LILITHS BA – https://www.instagram.com/dasliliths.ba/

Cia teatral Papo cabeça – https://www.facebook.com/ciateatralpapocabeca

Coletivo Semeando Sonhos – https://semeandosonhos.wordpress.com/

#maesdoouvidor #criančasdoouvidor #ouvidor63 #ouvidor63resiste #rua #respeito #maes #maespretas #respeitaasmaes #mulheresnalideranca #mulheresocupam #espacokids  #respeitamulherpreta #gestaofeminina #sagradofeminino #sagradainfancia #aruasabequemequem #acontachegou #paz #crianças #cultura #vida #equidade #direitos #direitoshumanos #mulhernegra #empoderamentofeminino #naoaocancelento #conhecaaverdade #compareça #racistasnaopassarao #pixacaoeamor #pixacao #grafite #reggae #hiphop #ancestralidade




Fuente: Argentina.indymedia.org