November 29, 2021
De parte de Kurdistan America Latina
304 puntos de vista


O Comitê Central do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) divulgou uma declaração em referência ao 43º aniversário da criação da organização em 1978, liderada por Abdullah Öcalan, encarcerado na Turquia desde 1999.

O texto lembra que o PKK “foi oficialmente estabelecido durante seu congresso de fundação no povoado de Fis em Lice, nos dias 26 a 27 de novembro de 1978”. “Como movimento e povo, estamos entrando no 44º ano da luta pela liberdade sob a liderança do PKK”, acrescentaram. Desejamos que o 43º aniversário da criação do PKK, nosso Partido e o Dia da Ressurreição, seja feliz para todos os nossos camaradas, especialmente para o líder Apo (Abdullah Öcalan), para nosso povo patriótico e para nossos amigos revolucionários-democráticos”.

“Na pessoa de nosso primeiro grande mártir, o camarada Haki Karer, comemoramos todos os nossos heroicos mártires com respeito, amor e gratidão, – comentaram -. Desejamos êxito a todos os que lutam pela liberdade e democracia no 44º ano do PKK”.

A declaração acrescentou: “Chamamos todo nosso povo patriótico e nossos amigos revolucionários-democráticos, especialmente mulheres e jovens, a celebrar nosso 43º aniversário oficial de fundação com mais entusiasmo do que nunca”.

“Neste momento, devemos fazer a pergunta: qual seria a situação do Curdistão e do povo curdo se não fosse o fato de que o líder Apo e a luta do PKK deixaram sua marca nos últimos cinquenta anos? -analisaram-. Sem dúvida, a única resposta correta que pode ser dada à pergunta em questão é esta: hoje, não restaria nada em nome do Curdistão e do curdismo neste mundo, e a mentalidade e política colonial-genocida teria triunfado completamente. Com quase cinquenta anos de luta, o líder Apo e o PKK impediram um genocídio, garantiram a existência e a liberdade do povo curdo e salvaram a humanidade de um novo genocídio. Todo mundo aceita este fato hoje, exceto aqueles que são os inimigos declarados dos curdos e do PKK”.

No comunicado se assegurou que “o líder Apo e o PKK recriaram o povo curdo e a sociedade com base na liberdade com seus 43 anos de luta histórica pela liberdade. Promoveu o desenvolvimento democrático da nação realizando a Revolução de Renascimento Nacional. Ao infligir sérios golpes ao domínio fascista-genocida, abriu o caminho para uma vida livre e uma administração democrática para o povo curdo. Ao mesmo tempo que teve um impacto decisivo no status político do Curdistão de Bashur (Curdistão iraquiano), criou uma nova esperança para todos os oprimidos com a Revolução da Liberdade Rojava (Curdistão Sírio). Salvou a dignidade da humanidade ao impedir o genocídio curdo yezidi em Shengal e ao derrotar o ISIS”.

Na declaração se indicou que “sem dúvida, o líder Apo e o PKK criaram o maior e mais significativo desenvolvimento da história no campo da liberdade das mulheres. Ao fazer da Revolução pela Liberdade das Mulheres a base da liberdade social e da democracia junto com a revolução ecológica, mostrou a consciência, o caminho, a organização e a ação da solução de todos os problemas sociais criados pelo poder e pelo sistema estatal”.

“Hoje, a Revolução da Liberdade das Mulheres, que se desenvolveu sob a liderança do PAJK e com o heroísmo da YJA-Star, é, por um lado, uma garantia da existência e da liberdade do povo curdo, enquanto por outro lado, melhora a liberdade social e feminina nesta base, quebrando a mentalidade e a política dominada pelos homens durante milênios. Assim, o século XXI tornou-se o século das mulheres e de uma vida livre, igualitária e democrática, baseada nas diferenças. O impacto destes desenvolvimentos será muito mais visível nos próximos anos”, disseram no texto.

De acordo com o próprio PKK, “a criação destes desenvolvimentos históricos não foi fácil. O líder Apo fez enormes esforços. Cada momento dos 43 anos passou por uma luta heroica, sobre a base de grande coragem e sacrifício. Cada ano tem sido testemunha de uma luta muito maior e mais difícil que a anterior. Todos os dias dos últimos 43 anos, foram escritos epopeias de heroísmo e dezenas de mártires heroicos. É evidente que estes eventos históricos foram realizados com a perda de mais de quarenta mil mártires. Superar dificuldades e superar obstáculos tem sido o estilo básico da militância apóstata. As filhas e filhos mais corajosos do povo curdo lutaram na linha de sacrifício e revelaram estes desenvolvimentos. O efeito construtivo desta epopeia heroica será muito maior no próximo período”.

Na declaração foi pontuado que “como todos os anos, o 43º ano de luta do PKK tem sido glorioso. O fascismo do AKP-MHP, com o apoio dos Estados Unidos e do PDK (Partido Democrático do Curdistão), levou a cabo um ataque planejado a fim de destruir e liquidar o PKK. Para isso, utilizou todos os tipos de métodos e meios, desde a guerra psicológica até a ocupação militar. Para combater estes ataques, nosso Movimento e nosso povo desenvolveram uma resistência total visando a liberdade do líder Apo com base na Campanha Dem Dema Azadiye. A resistência de sacrifício desenvolvida por nossas heroicas forças guerrilheiras em todas as Zonas de Defesa de Medya, especialmente em Gare, Metina, Zap e Avaşin, e em Bakur (Curdistão Turco), desempenhou um papel de liderança na ruptura dos ataques inimigos. Nosso povo, atraindo força e moral através da resistência guerrilheira, tem garantido o sucesso de nossa campanha desenvolvendo ações contínuas nas quatro partes do Curdistão e no exterior. Estas ações têm sido lideradas especialmente por mulheres e jovens. Os presos estiveram em constante resistência e fizeram uma das maiores contribuições para a campanha. Saudamos o 43º aniversário da luta de nossos heroicos guerrilheiros, de nosso povo e dos presos e celebramos seu êxito”.

No comunicado se explicou que “agora, quando o PKK entra em seu 44º ano, os resultados são claros. O plano de destruir e liquidar o PKK do fascismo do AKP-MHP apoiado pelos EUA e pelo PDK foi frustrado e o fascismo do AKP-MHP foi claramente derrotado. Nossa heroica guerrilha, que entrou no ano da luta com a vitória histórica em Gare, também teve sucesso em Metina, Zap e Avaşin, em uma operação militar que vem sendo realizada desde 23 de abril. Como o fascista Ao não conseguir romper a resistência da guerrilha, o fascista AKP-MHP teve que se retirar de muitas áreas que ocupava. Este processo continuará, e o fascismo do AKP-MHP, que foi derrotado no ano 43 do PKK, será destruído no ano 44 do PKK”.

“Está muito claro que o fascismo do AKP-MHP será destruído pela força ou por eleições. Agora, a principal agenda é desenvolver uma luta que derrubará o fascismo AKP-MHP, mas ao mesmo tempo resolver como será formada a nova administração da Turquia – asseguraram -. De fato, constata-se que tanto os EUA como as potências estrangeiras, assim como a CHP e as forças do sistema interno, estão trabalhando para isso. Quase com pressa, estão buscando como manter viva a República Turca anti-curda e fascista. Deixemos claro aqui que nenhum partido chegará a lugar algum repetindo ou imitando o AKP. Nada pode salvar o regime fascista-genocida que entrou em colapso. Aqueles que conseguiram derrotar o fascismo do AKP-MHP lutando também saberão como esfacelar estas novas tentativas”.

Para finalizar, destacaram: “Digamos claramente isso a todos os partidos na Turquia, incluindo a CHP, e às potências estrangeiras relacionadas com a Turquia: o que vocês dizem para derrubar a mentalidade e a política fascista-genocida na Turquia, e para democratizar a Turquia e resolver o problema curdo com base na liberdade? O fascismo deve ser destruído, o Curdistão deve ser libertado e a Turquia deve ser democratizada. Tentativas de desviar a agenda com métodos fraudulentos são inúteis. Todos devem mostrar claramente sua posição sobre esta base. As forças políticas democráticas devem conseguir criar uma alternativa democrática ao fascismo do AKP-MHP que foi destruído neste processo histórico. Dizemos às forças como o KDP, que se salvem de ser o pilar da mentalidade e da política fascista-genocida. As potências estrangeiras, como os EUA e a União Europeia (UE), devem agora saber respeitar a livre vontade do povo curdo e parar de brincar para manter viva a mentalidade e a política fascista-genocida na Turquia”.

FUENTE: ANF / Traducción: Terra sem amos

<!–

–>




Fuente: Kurdistanamericalatina.org